Queiroga diz que assina hoje contrato para mais 100 milhões de doses da Pfizer

Em depoimento à CPI da Covid no Senado nesta quinta-feira (13) o gerente-geral da Pfizer para a América Latina, Carlos Murillo, afirmou que a farmacêutica fez em 14 de agosto do ano passado a primeira oferta de venda de vacinas para o Ministério da Saúde. Eram dois tipos de ofertas, de 30 milhões ou 70 milhões de doses do imunizante, que estava em desenvolvimento, com as mesmas condições de compra.

Segundo ele, em 18 de agosto, a Pfizer voltou a fazer as ofertas de 30 milhões e 70 milhões de vacinas, mas naquele momento havia um quantitativo adicional para o Brasil ao final de 2020. Em 26 de agosto, houve uma terceira oferta, com os mesmos números de doses. Também naquela ocasião, a Pfizer havia conseguido um pouco mais de unidades para o primeiro trimestre de 2021.

Segundo Murillo, as negociações eram feitas com o Ministério da Saúde. As primeiras reuniões ocorreram em maio e junho. Eram encontros exploratórios onde a Pfizer compartilhou o status de desenvolvimento da vacina. Em 16 de julho, a empresa forneceu ao Ministério da Saúde uma “expressão de interesse”. Então, em 6 de agosto, a pasta manifestou “possível interesse” no imunizante da farmacêutica, relatou Murillo. “Como consequência, no dia 14 de agosto oferecemos nossa primeira oferta, vinculante”, disse.

Mercado mais importante

Em sua fala inicial do depoimento à CPI da Covid, o gerente Carlos Murillo, destacou que o Brasil é o mercado mais importante para a Pfizer na América Latina e que, por isso, a farmacêutica escolheu o País como um dos poucos no mundo para receber o estudo clínico da fase 3 da vacina da empresa – segundo ele, a primeira vacina eficaz e segura no mundo para a covid-19.

Nos contratos firmados, a empresa deve ter uma oferta de 200 milhões de doses, suficiente para imunizar quase metade de população do País.

Murillo lembrou que a vacina obteve o registro permanente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 22 de fevereiro deste ano, com primeiro contrato fechado com o governo brasileiro em março para o oferecimento de 100 milhões de doses. “Nosso contrato prevê a entrega de 13,5 milhões de doses no 2º trimestre, mais 86 milhões no 3º trimestre. Consideramos hoje que, no 1º trimestre seremos capazes de fornecer ao Brasil 15,5 milhões de doses”, relatou o representante da farmacêutica.

Murillo destacou que nesta semana a empresa deve fechar o segundo contrato com o governo brasileiro, para mais 100 milhões de doses adicionais, com entrega prevista para o 4º trimestre deste ano. “Com satisfação e orgulho que sei que hoje vamos conseguir vacinar quase a metade da população do Brasil”, disse o gerente geral, segundo quem a companhia não recebeu dinheiro de nenhum governo para desenvolver a vacina.

via redação Busão Curitiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil contabiliza 17 milhões de casos

As 145.080 doses do imunizante produzido pela Pfizer/BioNTech chegaram na noite desta segunda-feira (7) ao Paraná. O material está armazenado no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para averiguação e separação e deve ser encaminhado ainda nesta semana para as Regionais de Saúde do Estado.  

As vacinas integram a 23ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde e representam o maior lote do medicamento produzido pela farmacêutica norte-americana encaminhado ao Estado. Com a nova remessa, o Paraná recebeu até o momento 360.360 unidades da farmacêutica.   

Foto: AEN PR

De acordo com informe técnico elaborado pelo governo federal, as vacinas serão destinadas para avançar na imunização do grupo prioritário com a primeira dose (D1). Estão reservadas para pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidade e pessoas com deficiência permanente (86.964), trabalhadores de educação do ensino básico (42.264), forças de segurança/salvamento e forças armadas (1.483) e trabalhadores do transporte aéreo (182). O restante é da reserva técnica. 

Ainda segundo o documento do Ministério da Saúde, baseado no estudo de estabilidade da vacina, o período de armazenamento foi ampliado de cinco para 31 dias, com temperatura de 2º a 8ºC. A alteração permitiu à Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) ampliar o alcance dos municípios atendidos pelo imunizante. 

O último lote, enviado na segunda-feira (07), por exemplo, chegou a 32 cidades de 19 Regionais de Saúde – 12 atendidos pela primeira vez pelo imunizante. 

Foto: AEN PR

“A orientação do governador Ratinho Junior é de ofertar o maior número de doses, dos diferentes imunizantes disponíveis, para todas as regiões do Estado. E que a distribuição seja rápida para que as vacinas possam chegar logo ao braço dos paranaenses e garantir a proteção contra o vírus”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. 

VACINAÇÃO 

De acordo com o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), o Paraná aplicou mais de 4 milhões de doses até a manhã desta terça-feira – 2.793.678 referentes à primeira dose e 1.232.380 segundas doses. Além do grupo considerado prioritário pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), que alcança quase 5 mihões de pessoas, o Estado começou a vacinar a população em geral de forma escalonada.

via redação Busão Curitiba

Copa América no Brasil não traz risco adicional de covid-19

A partir desta terça-feira (8), Curitiba amplia a imunização contra covid-19 para pessoas com 57 anos completos e mais. Para evitar filas e aglomerações o grupo será escalonado por mês de nascimento. 

Na terça-feira (8), a vacinação será para pessoas com 57 anos completos nascidas entre 1º de janeiro e 30 de junho. Na quarta-feira (9), serão imunizadas as que têm 57 anos completos nascidas entre 1º de julho e 31 de dezembro.

Pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente de 18 anos ou mais que ainda não se imunizaram também podem buscar a vacina.

Para todos esses grupos a vacinação acontece por procura direta, em um dos 17 pontos de vacinação da cidade, das 8h às 17h. (lista abaixo). No dia da vacinação, o cidadão deve apresentar documento de identificação com foto, CPF, um comprovante de endereço de Curitiba e uma caneta.

Evite filas

A Secretaria Municipal da Saúde pede que esses grupos façam o cadastro antecipado no aplicativo Saúde Já. Assim, evitarão filas nos postos de imunização. O cadastro é rápido e gratuito, pode ser acessado pelo aplicativo de celular, disponível nas versões Andróid e IOs, ou pelo site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br.

A SMS de Curitiba seguirá ainda com a imunização de professores e profissionais da educação com 43 anos e mais. Para esse grupo, a vacinação é feita em 10 pontos exclusivos.

Vacinação de professores é ampliada para 43 anos e mais

Vacinação contra a covid-19

  • Pessoas com 57 anos completos:  nascidas entre 1º de janeiro e 30 de junho, terça-feira (8/6);
  • Pessoas com 57 anos completos:  nascidas entre 1º de julho e 31 de dezembro, quarta-feira (9/6);

Pontos fixos de vacinação contra covid-19 

Das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira

1 – Pavilhão da Cura
Parque Barigui (entrada somente pela BR-277)
2 – US Ouvidor Pardinho
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho
3 – Centro de Referência, esportes e atividade física
Rua  Augusto de Mari, 2.150 – Guaíra
4 – US Salvador Allende
Rua Celeste Tortato Gabardo, 1.712 – Sítio Cercado
5 – US Parigot de Souza
Rua João Eloy de Souza, 111 – Sítio Cercado
6 – US Vila Diana
Rua René Descartes, 537 – Abranches
7 – Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira
Rua Guilherme Ihlenfeldt, 233 – Bacacheri
8 – US Jardim Paranaense
Rua Pedro Nabosne, 57 – Alto Boqueirão
9 – US Visitação
Rua Dr. Bley Zornig, 3136 – Boqueirão
10 – US Camargo
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru
11 – US Uberaba
Rua Cap. Leônidas Marques, 1392 – Uberaba
12 – Clube da Gente CIC
Rua Hilda Cadilhe de Oliveira
13 – US Vila Feliz
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo
14  – US Aurora
Rua Theofhilo Mansur, 500 – Novo Mundo
15 – US Pinheiros
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade
16 – Rua da Cidadania do Tatuquara
Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n
17 – Rua da Cidadania do Fazendinha
Rua Carlos Klemtz, 1.700
 

via redação Busão Curitiba