Cartão Futuro abre novas oportunidades para jovens aprendizes

Uma ação para incentivar a inserção de jovens no mercado de trabalho e garantir a manutenção de 15 mil vagas de empregos de paranaenses de 14 a 18 anos. Este é o propósito do Cartão Futuro Emergencial lançado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em dezembro.

O programa oferece ao empregador que mantiver contrato ativo com aprendizes menores de 18 anos uma subvenção de R$ 300,00, por 90 dias. Quem contratar novos aprendizes, mesmo que em substituição dos que tiveram o contrato encerrado na pandemia, podem receber R$ 500,00.

Nos dois casos os empregadores deverão manter os contratos com os aprendizes por, no mínimo, mais 60 dias após o pagamento da última parcela da subvenção. Eles também ficarão responsáveis pelo pagamento das demais verbas salariais, bem como pelos encargos trabalhistas e previdenciários.

Elaborado pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, o programa exige um cadastro que pode ser feito pelo site www.cartaofuturo.pr.gov.br. O governador Ratinho Junior destacou que o objetivo é abrir oportunidades de primeiro emprego e que o programa terá continuidade, após passada a fase emergencial, e deve ser o maior do País neste formato.

O programa emergencial é um desdobramento do Cartão Futuro, criado no ano passado pelo Governo do Estado com o intuito de incentivar a inserção de jovens no mercado de trabalho. Ele terá validade enquanto durar a situação de calamidade pública.

RECURSOS – O investimento previsto na etapa emergencial é de R$ 20 milhões para o pagamento do subsídio aos empregadores para complementar o salário dos jovens aprendizes. Os recursos são do Fundo da Infância e Adolescência (FIA), administrado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca).

Segundo o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, o Cartão Futuro vai contribuir com a retomada econômica do Paraná, gerando novas vagas de aprendizes e garantindo a manutenção dos contratos existentes. “Esse é o Paraná inovador!”, disse.

O empregador deverá formalizar um Termo de Adesão, que será validado pelas 216 Agências do Trabalhador do Estado de maneira digital, via site. As vagas de aprendizagem ofertadas deverão ser abertas nas próprias agências.

COMIDA – Outra ação que envolveu a secretaria foi o auxílio emergencial do programa ‘Cartão Comida Boa’, que garantiu uma movimentação de R$ 113 milhões na economia paranaense em 2,7 milhões de transações de compras nos 399 municípios. No total, 786,6 mil vouchers foram utilizados pelos beneficiários.

O Comida Boa foi um complemento ao auxílio federal. Durante três meses, foi concedido o valor de R$ 50,00 para pessoas economicamente vulneráveis comprarem gêneros alimentícios no comércio previamente cadastrado.

Os recursos vieram do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza e a coordenação envolveu vários órgãos, como as Secretarias da Agricultura e do Abastecimento, da Justiça, Família e Trabalho e Fazenda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policia Civil do Paraná investiga falsificação de testes de coronavírus por clube de futebol do Oeste

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) abriu inquérito policial para apurar a suspeita de falsificação de testes de Covid-19 por jogadores de um clube de futebol da região Oeste do Estado. O caso veio a público após a Federação Paranaense de Futebol (FPF) divulgar uma nota esclarecendo o ocorrido durante uma partida na tarde da última quinta-feira (22), em Curitiba.

A PCPR já procurou a Federação, que passou todas as informações e provas do possível crime. O clube apresentou exames com rasuras, todos de um único laboratório e com a assinatura da mesma médica. O indício da falsificação foi notado pela federação. Todos os envolvidos devem ser ouvidos durante as investigações.

A PCPR também vai apurar se houve falsificação por parte de outros clubes envolvidos na disputa pelo campeonato. “Nós também temos a preocupação de que em outros jogos essa situação tenha ocorrido. Sendo assim, vamos verificar se aconteceu falsificação de exames em jogos que já foram realizados”, esclareceu o delegado da PCPR, Luiz Carlos de Oliveira.

O inquérito terá duração inicial de 30 dias. O prazo de investigação pode ser ampliado.

Novo lote com 205.200 vacinas chega nesta quinta-feira ao Paraná

O Paraná vai receber nesta quinta-feira (22) mais 205.200 doses de vacinas contra a Covid-19. São 166.000 da AstraZeneca/Fiocruz e 39.200 da CoronaVac/Butantan. A chegada no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, está prevista para ocorrer às 23h30, no voo 4060 da companhia aérea Gol. O material sairá do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Na sequência os imunizantes serão encaminhados de caminhão para o Centro de Medicamente do Paraná (Cemepar), na Capital, para verificação e divisão. As vacinas começam a ser encaminhadas às 22 Regionais de Saúde do Estado nesta sexta-feira (23).

Essa é a 14ª remessa enviada ao Paraná pelo Ministério da Saúde. Pela estratificação do novo lote, o Estado dará prosseguimento na vacinação dos grupos prioritários elencados no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. São 149.459 primeiras doses (72% do total) e 35.149 segundas doses, além da reserva técnica indicada pelo ministério.

Com o novo lote, o Estado ultrapassará a marca de 3 milhões de doses recebidas desde o começo do ano. Nesta quarta-feira (21) o Paraná ultrapassou a marca de 2 milhões de doses.

As doses da AstraZeneca estão indicadas para aplicação em idosos de 60 a 64 anos, correspondentes a 26% do público estimado. São 149.397 vacinas. É parte de um lote de 2.808.000 de imunizantes Covishield que será distribuído pelo Ministério da Saúde.

As do Butantan estão divididas em 62 primeiras doses para forças de segurança pública e salvamento (incluindo as Forças Armadas), 4.554 segundas doses para trabalhadores da segurança pública/salvamento/Forças Armadas e 30.595 segundas doses para idosos de 65 a 69 anos, referentes aos reforços das remessas 11 e 12. É parte de um lote de 700.000 doses a ser distribuído para todo o País.

Segundo o Vacinômetro da secretaria estadual da Saúde, 1.503.580 pessoas já receberam as primeiras doses e 604.420 as segundas doses no Paraná, o que representa 100% e 58,1% de eficácia na aplicação pelos municípios, respectivamente – lembrando que para a segunda é preciso respeitar o intervalo de aplicação indicado na bula do imunizante.